Powered by Jitbit Forum free trial version.
início tópicos recentes mensagens recentes pesquisar faq  



registar | esqueci a palavra-chave   open id

Messages in this topic - RSS

Site » Pioneiros na aviação » Quem inventou o avião

Um lugar especial os pioneiros da aviação... os loucões!

Quem inventou

Alberto Santos-Dumont:14
Irmãos Wright:1
23/12/2011 18:57:51

Pedro Prado
Pedro Prado
Administrator
Posts: 1927
Quem inventou o avião? Quem foi o primeiro a voar um avião de verdade, daquele que decola sozinho, voa e pousa. Não do tipo esquisito que é arremessado de uma catapulta, precisa de bastante vento contra, faz um voozinho e cai logo ali.

E que depois que "um" já tinha voado, "outro" vêem com uma história muito estranha, dizendo que já havia voado antes, mas ninguém viu, mas que jurava que tinham voado...

E aí com um pouco de pressão os "mui amigos" franceses desomologaram o "um" e homologaram os segundos como primeiros...

Deu pra entender? wink Como diz Zagalo...”Estranho”!!
edited by Pedro Prado on 27/7/2013
+2 link permanente
15/2/2012 16:48:17

antoniolamadeu
antoniolamadeu
Posts: 7
Não há dúvidas Pedro, o primeiro vôo autônomo de uma máquina que partiu da velocidade zero, ganhou força sozinha, decolou, vôou por alguns metros a alguns metros de altura e depois pousou e parou sozinha (sozinha é claro pelas mãos de um grande piloto) foi feito pelo 14 bis e conduzido por Santos Dumont.
Os outros que requerem a primazia do feito, estavam com tanta vergonha do voozinho micho e arremessado (aliás, se você arremessar um frango congelado com a mesma catapulta, acho que vai voar o mesmo tanto que aquela coisa esquisita que os caras chamavam de avião), que fizeram o que fizeram escondido de todos e só chamaram uns poucos amigos para registrar pois caso fosse um fracasso, os amigos nem iam relatar o fracasso.
Enfim, palmas para o nosso grande Pai da aviação e inventor únicodo avião além de ser o primeiro homem a voar em um avião, o mais pesado que o ar: Alberto Santos Dumont.
0 link permanente
14/3/2012 01:37:22

Pedro Prado
Pedro Prado
Administrator
Posts: 1927
Vejam este filme da Cartier e me digam.........Quem inventou o avião????????



PS. Eu já postei esse vídeo em outros tópicos, Santos = Dumont merece!!!!
0 link permanente
16/11/2012 09:13:39

Pedro Prado
Pedro Prado
Administrator
Posts: 1927
Aí vai um texto bem legal de Pedro Corrêa do Lago...

+1 link permanente
29/11/2012 17:16:48

vitor ferrari
vitor ferrari
Posts: 298
Muito legal o texto.

achei isso no Facebook:smile



--
As invenções são, sobretudo, o resultado de um trabalho teimoso - - SantosDumont
0 link permanente
30/11/2012 13:19:58

Gilmar Jr
Gilmar Jr
Posts: 32
Acredito que deveria parar com isso, sabemos que antes deles, muitos já vinham tentando então eles também fazem parte da historia.
E simples e colocar cada um no seu lugar, os irmãos wright planou, hoje temos os planadores.
Dumont levantou voo por algo motorizado, então e so colocar cada um no seu lugar e pronto.
Todos ajudaram para oque temos hoje, esse negocio de quem inventou oque não existe! Minha opnião.
0 link permanente
3/6/2013 22:22:57

Pedro Prado
Pedro Prado
Administrator
Posts: 1927
Interessante essa matéria do Scientific American...

http://www2.uol.com.br/sciam/artigos/na_historia_da_aviacao_a_controversia_continua.html
0 link permanente
4/6/2013 09:17:43

Zé Henrique
Zé Henrique
Posts: 857
Com este achado do Pedro, escrito por Rubens Villela, o texto faz tirar uma conclusão em que eu acredito.
As datas do 14 Bis tirei da revista ASAS. Só vejo 2 Dois voos HOMOLOGADOS na Historia, com uma tentetiva nos U.S.
VEJA O GRAFICO:

0 link permanente
4/6/2013 12:05:16

Pedro Prado
Pedro Prado
Administrator
Posts: 1927
O que houve... resumindo em miúdos foi o seguinte:

Que o Santo-Dumont foi o primeiro não há dúvidas e que os irmãos Wright foi uma farsa muito grande também não há dúvidas. O que impressiona é saber que nós brasileiros já ficamos de cabeça baixa desde aquela época. Os franceses simplesmente se venderam aos americanos que queriam garantir no "tapetão" este título.... e pronto! Tudo resolvido! Ficaram com o título desde então, usaram e abusaram desta qualidade de serem os primeiros a voar. Nas escolas eles ensinam isso aos pequenos desde o começo, em tudo que é campanhas nacionalistas deles eles se aproveitam deste fato para elevar a moral do povo deles, até a NASA se utiliza desta façanha.

A pergunta que eu faço é a seguinte:
Porque nos Estados Unidos, NUNCA NINGUÉM ouviu falar de Santos - Dumont, o povo lá não faz a menor ideia de quem seja esse tal Santos. E quando você vai falar que a história não foi bem assim, eles viram BICHO! E começam a xingar e estrebuchar.

Quem estudou o assunto, leu os livros de S=D, leu os relatos da época, fatos e etc., logo chega a essa conclusão, não precisa ser nenhum gênio ou nenhum brasileiro fanático para entender. É fácil perceber que o S=D se acabou de tristeza depois deste acontecimento dos irmãos Wright. É muito claro perceber isso, justo ele que só fazia essas proezas para ganhar a glória dos feitos, sem dúvida ele era um cara que adorava aparecer.

Santos-Dumont foi o pioneiro em diversas façanhas, uma delas foi que ele foi o primeiro cara a ter seu rosto estampado em lembrancinhas! Tipo cinzeiros, xicrinhas e etc.... foi o primeiro a fazer marketing pessoal. Chegou a ser a pessoa mais ilustre na Europa e fazia questão de dizer que era brasileiro (Santos) e francês (Dumont) por isso seu nome e assinatura S = D.

É uma pena que os Brasileiros não saibam nada sobre Santos Dumont, bom.. o brasileiro não sabe de nada nunca mesmo...
0 link permanente
4/6/2013 12:34:44

Pedro Prado
Pedro Prado
Administrator
Posts: 1927
Outro fato extremamente relevante é que PRINCIPALMENTE naquela época, todos os grandes feito eram muito esperados e eram todos homologados, existiam as entidades só para isso, você marcava com as autoridades, eles iam lá na hora marcada, tinha o tempo certo para você apresentar seu feito. Se não desse certo o azar era seu, muitas vezes não podia nem tentar de novo.

O próprio S=D contava que algumas vezes quebrou a cara feio.

Justo naquela época que por um espaço curto de tempo fizeram grandes feitos na aviação, era tudo HOMOLOGADO, não só na aviação, mas trem, navio, ciência e todos os tipos de invenções de maneira geral.

Digo isso indagando se, como seria possível homologar um fato de tal relevância, no caso dos irmãos Wright, sem a presença de pessoas ou pior ainda, dois anos depois do fato.

Loucura, roubalheira!!!..... ah! vão se danar!!!!!!!!!!!!!!!
0 link permanente
5/6/2013 15:05:43

fabiobitu
fabiobitu
Posts: 250
eu acho que foi o Pedro, pela habilidade e conhecimento...
0 link permanente
5/7/2013 16:40:26

Pedro Prado
Pedro Prado
Administrator
Posts: 1927
F I N A L M E N T E ! ! ! \ smile /

Um livro Americano para crianças sobre S=D diz que ele voou antes dos Wright bros. Até que enfim.
Parece que as coisas estão melhorando... uma boa notícia!!!!
http://www.amazon.com/dp/1419700111/ref=pe_259560_30909850_pd_re_dt_dt5
0 link permanente
5/7/2013 16:51:30

Pedro Prado
Pedro Prado
Administrator
Posts: 1927
Vou comprar!!!

0 link permanente
5/7/2013 17:11:57

Pedro Prado
Pedro Prado
Administrator
Posts: 1927
Já comprei....R$ 60,90 !
0 link permanente
24/7/2013 15:15:14

Pedro Prado
Pedro Prado
Administrator
Posts: 1927
Recebi meu livro "The Fabulous Flying Machines of Alberto Santos-Dumont", muito legal por sinal. Foi escrito por uma jornalista americana Victoria Griffith. Com uma carreira internacional onde passou pelo jornal inglês Financial Times, pelo jornal americano US Science e também aqui pelo Brasil onde cobriu reportagens sobre a Amazônia.

Casada com um brasileiro e mãe de três filhas, ela conta que se interessou por S=D pela primeira vez quando ouviu seu marido falando com a sua filha que tinha aprendido na escola nos EUA que foi os irmãos Wright que tinham inventado o avião. O marido então indignado dizia o contrario explicando a filha a história de Santos-Dumont.

Com isso em mente saiu a procura de informações sobre o caso e depois se apaixonou pelo assunto e resolveu escrever este bonito livro. Pediu a Eva Montanari, uma artista italiana já famosa, para ilustrar com lindas pinturas o livro.

Bom, o resultado final ficou muito bonito, é um livro de mais ou menos 30 x 20 cm de tamanho, com pouco texto em uma linguagem meio poética e muitas ilustrações coloridas e bem grandes.

Sobre o conteúdo, ela pega leve na questão entre os Irmãos Wright e S=D, ela não diz diretamente que não foram os irmãos os inventores, mas fala tudo sobre Santos-Dumont, conta toda história, quem era, o que fez e etc. Ela diz tudo... que era o sujeito mais famoso da Europa, quem sabe do mundo, de todas suas peripécias, seus amigos também famosos, como o Cartier, Bleriot e outros.

Enfim, ela é bem generosa com o nosso S=D, inclusive falando do seu caráter generoso de um verdadeiro "gentleman" e tudo mais.

Ela explica bem a questão do pioneirismo, que os irmãos americanos voaram sem testemunhas e precisavam de condições metrológicas especiais com bastante vento e lógico da catapulta para arremessar o avião no ar.

Conta também bem detalhado o dia em que S=D voou pela primeira vez e também o fato que poucos sabem que Louis Blériot quis roubar a festa tentando voar por três vezes consecutivas com seu modelo e quebrando-se todo logo em seguida. Quando todos aconselhavam S=D a não permitir que Blériot tentasse estragar sua festa, que ele havia organizado, roubando a glória caso tivesse sucesso, mas mesmo assim S=D falou, deixa ele tentar!...

Bem, espero que alguém traduza esse belo livro aqui no Brasil, se bem que acho difícil, o brasileiro não costuma dar valor a essas coisas... prefere o futebol.....

+1 link permanente
24/7/2013 16:20:30

antoniolamadeu
antoniolamadeu
Posts: 7
Olá Pedro!!! O livro parece ser lindo mesmo!!! Vou comprá-lo também, como dou aulas particulares de inglês também para as séries iniciais do ensino fundamental II, será uma ótima oportunidade para ensiná-los sobre S=D e ao mesmo tempo a língua inglesa.
Mas o fato que me levou a escrever aqui e responder ao seu "post" sobre o livro, foi que busquei na internet sobre a autora pra ver se consigo fechar algum link entre ela e uma editora aqui no Brasil para a tradução para o português (com certeza se fosse sobre futebol já teria sido traduzido). Minha tão grata surpresa foi encontrar em um site de recomendações de livros tantas citações de americanos que leram e adoraram o livro, mais ainda, eles mesmos criticam a "ignorância" das editoras americanas que insistem em só publicarem feitos dos heróis americanos tornando-os completamente alheios aos outros heróis e pioneiros ao redor do mundo. Fiquei muito feliz em ver S=D ser conhecido na terra do Tio Sam e em saber que existem muitos americanos que não são cegos aos feitos de grandes nomes internacionais como o nosso querido S=D. O link é: http://www.goodreads.com/book/show/11689243-the-fabulous-flying-machines-of-alberto-santos-dumont
Apreciem sem moderação !!!
Grande abraço!!!
0 link permanente
24/7/2013 17:37:31

Pedro Prado
Pedro Prado
Administrator
Posts: 1927
Legal Amadeu, espero que você tenha sucesso em editar este livro aqui no Brasil, muito bom!
0 link permanente
26/7/2013 13:24:49

Pedro Prado
Pedro Prado
Administrator
Posts: 1927
Estou repassando aqui o e-mail que o Marcos Villares, sobrinho neto de Santos-Dumont nos passou, mas antes quero frisar esta frase do próprio S=D:

Ainda acho que a melhor resposta é do próprio Santos-Dumont (abaixo). O fato é que basta verificar nos jornais da época que o “mundo” continuou o mesmo em 18 de dezembro de 1903, nada foi noticiado. Já em 24 de outubro de 1906 jornais do mundo todo anunciavam em manchetes a “conquista do ar”.


Achei FENOMENAL, só podia ter vindo de um gênio como S=D.


Aí vai a cópia do e-mail do Marcos:


Olá Pedro e Guto, grato pelos links, muito interessantes. Livros já foram escritos sobre a primazia do voo, como “Santos –Dumont e a conquista do ar”, do embaixador Aluízio Napoleão, de 1941, escrito a pedido do Ministério das Relações Exteriores, como resposta aos americanos, que pretendiam instituir o dia 17 de dezembro (de 1903, suposto voo dos irmãos Wright) como o dia Panamericano da Aviação (nenhum país da América do Sul concordou...). Ainda acho que a melhor resposta é do próprio Santos-Dumont (abaixo). O fato é que basta verificar nos jornais da época que o “mundo” continuou o mesmo em 18 de dezembro de 1903, nada foi noticiado. Já em 24 de outubro de 1906 jornais do mundo todo anunciavam em manchetes a “conquista do ar”. O voo do 14-bis em 23 de outubro de 1906 foi o primeiro capítulo da aviação mundial, é partir deste voo, realizado publicamente, que é provado que um aparelho mais pesado do que o ar pode voar. E desde então o avião não parou de evoluir. O suposto voo dos Wrights de 17/12/1903 não tinha catapulta, foi realizado, segundo a versão deles, a partir de um trilho e um plano inclinado, com vento contrário de cerca de 40km/h. O primeiro voo público deles ocorreu na França em agosto de 1908, aí sim, utilizando uma catapulta, eles só colocaram trem de pouso em seus aviões em 1910. É por isso que eu acho que entre tantos grandes pioneiros da aviação , SD foi o mais importante, o que influenciou os demais (sem esquecer a dirigibilidade dos balões, em 1901, o primeiro “aeronauta” da História). Aproveito para enviar depoimentos do Voisin e do Sacadura Cabral, grandes pioneiros, como Santos-Dumont. Ele teve o reconhecimento de seus pares, talvez o mais importante reconhecimento, como o do Blériot e do Archdeacon, por exemplo:

Mensagem enviada por Santos-Dumont a Louis Blériot, após este atravessar o Canal da Mancha (Les Barraques, perto de Calais, França - Dover, na Inglaterra) a bordo de um “Blériot XI”, em 25 de julho de 1909:

"Esta transformação da geografia é uma vitória da navegação aérea sobre a navegação marítima. Um dia, talvez, graças a você, o avião atravessará o Atlântico".
Ao receber as congratulações, Blériot respondeu: "Eu não fiz mais que segui-lo e imitá-lo. Seu nome para os aviadores é uma bandeira. Você é o nosso líder".

Banquete no Aero Club da França em 10 de novembro. Ernest Archdeacon, presidente da Comissão de Aviação do Aero Club:
“Se algum dia eu pudesse pecar por inveja, pecaria hoje invejando o meu amigo Santos Dumont, que conseguiu conquistar uma das glórias mais belas que o homem pode ambicionar neste mundo. Acaba de realizar, não em segredo, nem diante de testemunhas complacentes, mas à plena luz meridiana e perante uma multidão, um soberbo vôo de sessenta metros, a três metros de distância do solo, o que constitui um fato decisivo na história da Aviação.”

Acho que a história de SD merece ser contada e recontada, não só pela contribuição científica/tecnológica, mas também por seu idealismo de repartir o conhecimento, ele nunca patenteou suas invenções aeronáuticas etc. Quem sabe um dia nossa eterna falta de memória nacional diminua e Santos-Dumont como outros grandes brasileiros passem a ter o reconhecimento que merecem.
Abraços,
Marcos


Abaixo segue o que Santos-Dumont escreveu sobre a primazia do vôo (o primeiro trecho está em seu livro "O que eu vi, O que nós veremos, de 1918). Segue também uma tabela dos primeiros recordes da aviação mundial, publicada pela "National Aeronautics Association", com sede em Washington.

"Eu não quero tirar em nada o mérito dos irmãos Wright, por quem tenho a maior admiração; mas é inegável que, só depois de nós, se apresentaram eles com um aparelho superior aos nossos, dizendo que era cópia de um que tinham construído antes dos nossos.
Logo depois dos irmãos Wright, aparece Levavassor com o aeroplano ‘Antoinette’, superior a tudo, quanto, então, existia; Levavassor havia já 20 anos que trabalhava em resolver o problema do vôo; poderia, pois, dizer que o seu aparelho era cópia de outro construído muitos anos antes. Mas não o fez.
O que diriam Édison, Graham Bell ou Marconi se, depois que apresentaram em público a lâmpada elétrica, o telefone e o telégrafo sem fios, um outro inventor se apresentasse com uma melhor lâmpada elétrica, telefone, ou aparelho de telegrafia sem fios dizendo que os havia construído antes deles?!
A quem a humanidade deve a navegação aérea pelo mais pesado que o ar? Às experiências dos irmãos Wright, feitas às escondidas (eles são os próprios a dizer que fizeram todo o possível para que não transpirasse nada dos resultados de suas experiências) e que estavam tão ignoradas no mundo, que vemos todos qualificarem os meus 250 metros de ‘minuto memorável na história da aviação’ ou é aos Farman, Bleriot e a mim que fizemos todas as nossas demonstrações diante de comissões científicas e em plena luz do sol?"
Em outro livro, intitulado O homem mecânico, escrito em 1929 e ainda inédito, Santos-Dumont escreveu:
"Foi, posso dizê-lo hoje uma prova um tanto dolorosa para mim assistir, após os meus trabalhos sobre dirigíveis e o mais pesado que o ar, a ingratidão daqueles que me cobriam de louros alguns anos antes.
Realizei minhas experiências em Paris, diante de seu povo e de sua imprensa, que as testemunharam. Recebi do Aeroclube de França, como pioneiro da aeronáutica, a homenagem do monumento de Saint-Cloud e da pedra comemorativa de Bagatelle, homenagens consagradas oficialmente pelo Governo Francês com a fita da Legião de Honra, e sinto-me constrangido ao ter de falar de mim mesmo – o ‘eu’ é-me odioso – a fim de defender estes testemunhos e esta consagração que, por vezes, parecem inconsideradamente haver sido esquecidos.
Há, nisto, mais uma prova de minha gratidão que uma reivindicação. Esta última seria aliás inútil porque a história não se escreverá senão com o recuar do tempo e com os fatos e documentos. (...)
De 1901 a 1903, não se fala no mundo inteiro senão nos meus sucessos em dirigíveis.
Em 1906, meu nome é de novo elevado às nuvens, desta vez na qualidade de primeiro homem voador... É impossível falar aqui todos os jornais que falaram de mim nestes termos, mas o que é certo, é que todos, sem exceção, estavam acordes a este respeito. (...)
Alguns anos passam, e tudo é esquecido. (...)
Os partidários dos irmãos Wright pretendem que estes voaram na América do Norte de 1903 a 1905. Tais vôos teriam tido lugar perto de Dayton, num campo ao longo de cujo limite passava um bonde.
Não posso deixar de ficar profundamente espantado por este fato inexplicado, único, desconhecido: durante três anos e meio os Wright realizaram inúmeros vôos mecânicos e nenhum jornalista da tão perspicaz imprensa dos Estados Unidos se abalança para ir assisti-los, controlá-los, e aproveitar o assunto para a mais bela reportagem da época!
E de que época!
Estávamos em plena carreira de Gordon Bennet, este protótipo do jornalista americano, fundador da grande reportagem, que havia mandado um de seus homens, Livingstone, procurar Stanley no centro da África, então desconhecida e inexplorada.
Tudo o que era novo, ele encorajava. Recordai a taça Gordon Bennet para balões livres, e a dos automóveis.
Nas minhas oficinas se encontrava, quase dia e noite, um dos seus ‘repórteres’.
‘Estamos’ – dizia-me ele – ‘num período áureo da história do mundo. Interessam-se prodigiosamente pelos seus trabalhos.
E estes, quase quotidianamente eram relatados no jornal de Gordon Bennet.
Como imaginar então que, na mesma época, os irmãos Wright descrevem círculos no ar durante horas, sem que ninguém disso se ocupe?
Só em 1908 é que os Wright vieram à França e mostraram pela primeira vez a sua máquina. Haviam-na guardado em segredo, diziam eles, durante cinco anos, desde o seu primeiro vôo de 17 de dezembro de 1903.
Entretanto – e eu peço notar bem isto – se os dois americanos exibiram a sua máquina em fins de 1908, é porque haviam recebido uma oferta de 500 mil francos de um empresário francês, que lhes pedia em troca demonstrações públicas com o aparelho e cessão dos direitos de patente do mesmo para a França.
Ora, em 1904, na Exposição Universal de São Luís, isto é, na época em que os Wright diziam que a sua máquina voava havia um ano – e São Luís ficava a poucas centenas de milhas de Dayton – havia a ganhar um prêmio de 500 mil francos, do mesmo valor da oferta de 1908. E nesta ocasião, nenhum direito de patente a ceder! Mas estes 500 mil francos não interessaram aos dois irmãos. Preferiram esperar quatro anos e meio e viajar 10.000 quilômetros para virem disputar a oferta francesa, no momento em que eu próprio, os Farman, os Blériot e outros, voávamos já!"

Em 1939, a edição número 12 da revista National Aeronautics, órgão oficial da National Aeronautics Association de Washington, publicou um quadro com os recordes de aviação do mundo, até aquela data. Nesse quadro Santos-Dumont detém o primeiro lugar e os Wright somente o oitavo:

Recordista
País
Data
Lugar
Recorde em milhas
Santos Dumont
França
12 de novembro de 1906
Bagatelle
0,136


Henri Farman
França
26 de outubro de 1907
Issy-les-Moulineaux
0,478


Henri Farman
França
13 de janeiro de 1908
Issy-les-Moulineaux
0,621


Henri Farman
França
21 de março de 1908
Issy-les-Moulineaux
1,242


Leon Delagrange
França
11 de abril de 1908
Issy-les-Moulineaux
2,438


Leon Delagrange
Itália
30 de maio de 1908
Cantocelle
7,922


Leon Delagrange
França
16 de setembro de 1908
Issy-les-Moulineaux
14,989


Wilbur Wright
França
21 de setembro de 1908
Auvours
41,382


Wilbur Wright
França
19 de dezembro de 1908
Auvours
62,012


Wilbur Wright
França
31 de dezembro de 1908
Auvours
77,485
edited by Pedro Prado on 26/7/2013
0 link permanente
26/7/2013 13:39:45

Pedro Prado
Pedro Prado
Administrator
Posts: 1927
0 link permanente
11/9/2013 22:53:25

Pedro Prado
Pedro Prado
Administrator
Posts: 1927
Olha.... Eu vou ser curto e grosso, me desculpem a arrogância:

O avião dos Irmãos Wright.... N U N C A V O O U ! ! !

Nunca voou e nunca vai voar, com 12 HPs nada voa carregando uma pessoa, muito menos com os materiais e o conhecimento de aerodinâmica daquela época. Talvez hoje em dia, com um super projeto, materiais de última geração, como carbono, aí sim daria para voar.

Mesmo hoje em dia com materiais normais, como falou o Zé Henrique.... A pouco tempo atrás, falando com o “Cabeça”,(Fez a réplica do Demoiselli em alumínio) falou: 25Hp é o mínimo por tripulante, o avião tem que ser leve e arrasto nenhum.

Pô! Tenha dó, estes americanos são brincadeira.... sem falar que o sistema de propulsão dos Irmãos Wright nas hélices, era feito por correntes, ridículo, as correntes corriam dentro de um cano engraxado, eram compridas e uma delas era cruzada para inverter o sentido de rotação de uma das hélices.

É sempre assim, uma mentira para ser sustentada sepre tem umas enganações para despistar, como... catapulta, testemunhas, vento, morro e etc. Mas o ponto CRUCIAL, ninguém toca... com 12 HPs não voa ninguém!!!


Aí vai uma tabela que a Azul publicou, vale a intenção... mas não toca no ponto crucial.


0 link permanente

Site » Pioneiros na aviação » Quem inventou o avião





Powered by Jitbit Forum 7.2.7.0 © 2006-2011 Jitbit Software